ECONOMIA

Efeito da crise na Argentina não será 'muito significativo' no Brasil, diz Dilma



A presidente Dilma Rousseff afirmou não acreditar que a crise na Argentina venha a ter "consequências muito significativas" para o Brasil, mas não deixou de acrescentar: "Estou atenta, bastante atenta".

O comentário foi feito durante a conversa que a presidente brasileira manteve em Davos com integrantes do International Media Council (IMC), criado pelo Fórum Econômico Mundial para reunir cerca de cem jornalistas que o evento considera influentes global ou regionalmente.

Dilma teve imenso cuidado em não dizer nada que mostrasse excessiva preocupação com "a crise que afeta a Argentina". Previu até que, com a recuperação da economia mundial e a iminente comercialização da safra argentina de grãos, "vai aumentar o grau de liberdade de gestão da economia argentina".

De todo modo, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio tem opinião mais pessimista do que a necessariamente cautelosa presidente, ao antever um barateamento da produção argentina, pela queda do peso, e o encarecimento dos produtos que o Brasil exporta.

Fonte: Folha de S.Paulo
Foto: Reprodução

Postagens mais visitadas