ECONOMIA

Impostos em produtos de festa junina pesam no bolso do brasileiro



Junto com a Copa do Mundo, os brasileiros também estão celebrando as festas juninas. Porém, a alta carga tributária que está embutida no preço dos principais quitutes podem frear as comemorações.

Um levantamento realizado pelo IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação) mostra que o quentão e os fogos de artifícios contam com as maiores taxas de impostos: 61,56% são destinados aos cofres públicos, seguidos pela cerveja (55,6%).

Para o presidente da instituição, João Eloi Olenike, os principais produtos consumidos nesta época têm uma elevada carga tributária por serem 'produtos supérfluos'. Confira a seguir a carga tributária dos itens de festa junina:

Fogos de artifício: 61,56%

Quentão: 61,56%

Cerveja (lata e garrafa): 55,6%

Vinho: 54,73%

Refrigerante (lata): 46,47%

Refrigerante (garrafa): 44,55%

Chapéu de couro: 39,8%

Viola: 39,65%

Calça jeans: 38,53%

Amendoim: 36,54%

Cocada: 36,54%

Paçoca e pé de moleque: 36,54% cada

Bota: 36,17%

Pipoca: 34,99%

Camisa xadrez: 34,67%

Chapéu de palha: 33,95%

Pinhão: 24,07%

Milho cozido: 18,75%

Cachorro quente: 15,28%

Fonte: MSN
Foto: Divulgação

Postagens mais visitadas