ECONOMIA

Empresários da indústria da construção estão pessimistas, diz CNI



Empresários da indústria da construção se mostraram pessimistas em agosto a respeito de novos negócios e serviços, compra de matérias-primas e insumos, e números de empregados no setor. Pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), nesta sexta-feira (22), apontou expectativa de quedas para o setor nos próximos seis meses.

Segundo a CNI, essa é a primeira vez desde dezembro de 2009, quando a Sondagem Indústria da Construção foi iniciada, que o resultado mostra pessimismo em relação ao futuro. A pesquisa foi realizada entre 1º e 12 de agosto, com 572 empresas, das quais 193 de pequeno porte, 244 médias e 135 grandes.

De acordo com a pesquisa, o indicador de expectativa em relação a novos serviços e empreendimentos caiu para 49 pontos. A espera sobre nível de atividade ficou em 49,6 pontos.

Ainda segundo análise, a expectativa de compras de matérias-primas recuou para 48,2 pontos e o de número de empregados caiu 48,5 pontos. Segundo a CNI, resultados abaixo de 50 revelam expectativas negativas. Os valores variam de zero a cem pontos.

A falta de confiança dos empresários é resultado da retração da atividade no setor industrial. Em julho, o indicador do nível de atividade caiu para 44,9 pontos. Já o nível efetivo em relação ao usual baixou para 42,3.

O nível de utilização da capacidade instalada se manteve em 69%. No entanto, o indicador de número de empregados recuou para 44,2 pontos, o menos da série histórica.

Fonte: G1
Foto: A/D

Postagens mais visitadas