ECONOMIA

Nível de poupadores cai em todas as classes sociais em 2014, diz pesquisa



A parcela de brasileiros que poupam caiu em 2014 em todas as classes sociais, aponta o Indicador de Educação Financeira (Indef), divulgado nesta quarta-feira (6) pela Serasa Experian e Ibope Inteligência.

De acordo com a pesquisa, a parcela de poupadores entre os mais endinheirados (que recebem mais de 10 salários mínimos) caiu significativamente, de 76% para 57%, entre 2013 e 2014. Na outra ponta, entre quem ganha até um salário mínimo, o nível de poupadores caiu de 18% para 17%.

Nas faixas intermediárias de renda as quedas foram de 26% para 25% entre quem ganha de um a dois salários, de 43% para 36% entre quem ganha de dois a cinco salários e de 59% para 45% entre os que recebem de cinco a dez salários mínimos.

De acordo Luiz Rabi, economista da Serasa Experian, fatores como o aumento da inflação e a queda do endividamento da população em 2014 foram responsáveis pela redução da poupança. Isso porque, com menos dívidas a serem sanadas, a necessidade de poupar diminui, explicou.

"Nos anos anteriores houve um crescimento acelerado no consumo, que não era sustentável. A partir do final de 2012 aconteceu um processo acentuado de regularização de pendências. Para sair da inadimplência, as pessoas precisam regularizar o caixa e fazer poupança. A necessidade de gerar poupança neste ano foi menor porque a inadimplência reduziu", disse. Ainda segundo ele, no começo deste ano a inflação foi mais alta que no mesmo período do ano passado.

Fonte: G1
Foto: Divulgação

Postagens mais visitadas