Economia: Claro, TIM e Vivo arrematam os três lotes nacionais do leilão do 4G

Claro, TIM e Vivo arrematam os três lotes nacionais do leilão do 4G



As operadoras Claro, TIM e Telefónica/Vivo arremataram nesta terça-feira (30) os três lotes nacionais oferecidos no leilão do 4G, promovido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Esses lotes são chamados de nacionais porque permitem à vencedora oferecer o serviço de banda larga de quarta geração em todo o país.

A Algar arrematou o lote 5 (regional) do leilão, que permite oferta do 4G justamente na área em que a empresa, ex-CTBC, possui concessão de telefonia. Dois lotes regionais não tiveram ofertas, e chegaram a ser oferecidos fracionados na segunda fase do leilão, mas permaneceram sem interessados.

O governo arrecadou, com o leilão, R$ 5,85 bilhões – abaixo dos R$ 7,7 bilhões previstos caso todos os lotes fossem arrematados pelos valores mínimos.

Na abertura dos envelopes para o primeiro lote, a Claro apresentou a maior oferta (R$ 1,947 bilhão), ágio de 1% em relação ao mínimo exigido pelo governo (R$ 1,927 bilhão). Ela foi seguida pela TIM (R$ 1,928 bilhão) e Vivo (R$ 1,927, valor mínimo). A Algar não apresentou proposta para esse lote.

TIM e Vivo foram classificadas e chamadas para apresentar proposta substitutiva na fase de disputa, mas abdicaram do direito. Assim, a Claro levou o primeiro lote sem disputa.

O edital prevê, após abertura dos envelopes, classificação das propostas, da maior para a menor. As empresas que tenham oferecido valor equivalente a pelo menos 70% da primeira colocada, têm direito a participar da fase de disputa pelo lote, em que elas podem elevar suas ofertas.

Se nenhuma oferta alcançar a margem de 70% da primeira colocada após a abertura dos envelopes, apenas a segunda maior será chamada para a disputa, independente da diferença de valores.

Fonte: G1
Foto: Divulgação
Página anterior Próxima página