ECONOMIA

Contas do governo têm pior resultado para janeiro em seis anos



As contas do governo registraram superávit primário - a economia para pagar juros da dívida pública e tentar manter sua trajetória de queda - de R$ 10,4 bilhões em janeiro deste ano, informou a Secretaria do Tesouro Nacional nesta quinta-feira (26).

Trata-se do menor resultado para meses de janeiro desde 2009, quando foi computado um superávit primário de R$ 3,97 bilhões. Naquele momento, o governo optou por diminuir o esforço fiscal para gastar mais e, assim, tentar combater os efeitos da crise financeira internacional - que foi "inaugurada" em setembro de 2008 com o anúncio de concordata do banco norte-americano Lehman Brothers.

O resultado das contas no primeiro mês de 2015 foi influenciado pelo fraco comportamento da arrecadação federal, que registrou queda real (valores corrigidos pela inflação) de 5,44% frente ao mesmo mês de 2014, segundo números da Secretaria da Receita Federal. Além disso, recebeu menos recursos de concessões e aumentou o pagamento para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

Em janeiro de 2014, o superávit primário somou R$ 13,03 bilhões. No consolidado do ano passado, as contas do governo central (Tesouro, Banco Central e Previdência Social) registraram o primeiro déficit primário (receitas menos despesas, sem contar juros da dívida pública) em 18 anos, de R$ 17,24 bilhões.

O secretário do Tesouro Nacional, Marcelo Saintive, afirmou que este "não era o resultado esperado". "Mas era bem próximo ao que a gente gostaria. Nós queremos cumprir a meta de superávit fiscal, meta que é do governo, da presidente Dilma, e também temos um compromisso de pagamento das despesas já realizadas. Esse é um recado importante", acrescentou ele.

Fonte: G1
Foto: Divulgação

Postagens mais visitadas