Economia: Safra deste ano deve ficar 4,2% maior que a de 2014, diz IBGE

Safra deste ano deve ficar 4,2% maior que a de 2014, diz IBGE



O Brasil deve colher este ano uma safra de 201 milhões de toneladas – um crescimento de 4,2% em relação a 2014, segundo dados divulgados nesta terça-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A estimativa é 0,6% maior que a previsão feita em março.

A estimativa da área a ser colhida é de 57,5 milhões de hectares, 2% mais que a área de 2014. O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos deste grupo, que, somados, representaram 91,6% da estimativa da produção e responderam por 85,4% da área a ser colhida.

"Nessa informação de abril temos muitos produtos que estão encerrando as colheitas, as safras de verão, e estamos tendo reavaliações da estima de milho e as primeira avaliações da cultura de inverno. Então, deixamos de ser projeção passando a ser avaliação de campo. Alguma parte já foi colhida, a maior parte, e tem a segunda parte de inverno, que ainda não foi colhida”, explicou Mauro Andre Andreazzi, gerente de agropecuária do IBGE.
“Dos grãos, foram basicamente esses acréscimos [0,6% maior de março para abril]: o milho, segunda safra, trigo, e a soja que tiveram acréscimos de março para abril”.

Regiões
A maior produção deve vir da região Centro-Oeste, onde estima-se que serão colhidas 81,4 milhões de toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas. Para o Nordeste, a estimativa é de 18,9 milhões de toneladas; e para o Sudeste, de 18,3 milhões de toneladas. Já á produção esperada para o Norte é de 6 milhões de toneladas.
"É o primeiro ano [desde o início da pesquisa, iniciada em 1974] que Nordeste supera em termos de volume de produção a região Sudeste”, afirmou Mauro, do IBGE. “A região Sudeste teve dois períodos de estiagem”, explica.

Produtos
O IBGE prevê que a produção de soja alcane 95,6 milhões de toneladas, uma alta de 0,9% frente à previsão de março. Mato Grosso do Sul, Goiás e Paraná são responsáveis por 72,3% da alta na estimativa.
Segundo o gerente, de 1990 a 2015, em quantidade produzida em toneladas no Brasil, houve “novo recorde da soja”.

O milho, no entanto, “está caindo em função do preço. Ainda teve atraso das chuvas. Isso prejudicou um pouco o plantio da segunda safra”: a previsão para o grão é de colheita de 76,3 milhões de toneladas, uma alta de 0,5% em relação ao mês anterior. Para o trigo, a atual estimativa de produção é de 7,8 milhões de toneladas.
Tiveram queda as previsões para a produção de café, em 0,6% (para 660 mil toneladas) e feijão terceira safra, em 0,7% (para 413 mil toneladas).

"Esse ano também estamos apresentando queda na produção do café. Os preços e baixas precipitações no Sudeste, onde se concentra a produção de café. Teve dois anos consecutivos de estiagem, além da redução de produção, fazendo nova safra baixa”, avaliou Mauro Andreazzi.
O IBGE estima ainda que a safra de cana de açúcar alcance 678 milhões de toneladas, um aumento médio de 0,9% em relação a março.

Fonte: G1
Foto: Divulgação
Página anterior Próxima página