Economia: Economia do Brasil deve recuar 3,5% em 2016, prevê Cepal

Economia do Brasil deve recuar 3,5% em 2016, prevê Cepal



A economia do Brasil deverá encerrar 2016 em queda de 3,5%, segundo estimativa divulgada em estudo da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe Cepal, nesta terça-feira (26). A Argentina, por sua vez, deverá recuar 1,5% e a Venezuela, em plena crise política, terá o pior resultado, com uma contração esperada de 8%.

Em média, as economias latino-americanas poderão contrair 0,8%, contra 0,6% estimado em abril, como consequência da queda de grande parte das economias da América do Sul.

"Os países da América Latina e o Caribe mostrarão uma contração em sua taxa de crescimento de -0,8% em 2016, queda maior do que a observada em 2015 (-0,5%), com um comportamento muito heterogêneo entre países e sub-regiões", afirma um relatório do organismo das Nações Unidas apresentado em Santiago.

A queda é liderada pela América do Sul, onde se espera uma contração de 2,1% em 2016, "afetada principalmente por uma deterioração dos termos de intercâmbio, uma menor demanda externa e uma desaceleração significativa da demanda interna, que reflete uma significativa queda no investimento doméstico", de acordo com a Cepal.

Já os países da América Central devem crescer, com uma expansão média de 2,6%. A República Dominicana lidera os avanços, com um crescimento esperado de 6%, seguido de Panamá (5,9%), Nicarágua (4,5%), Guatemala (3,5%) e Honduras (3,4%). O México deve crescer 2,3%.

De acordo com a estimativa mais recente do mercado financeiro, divulgada por meio do relatório Focus, o PIB deste ano deverá registrar uma contração de de 3,27%.

Fonte: G1
Foto: A/D

Página anterior Próxima página